Sexta feira-30 de março de 2018 – Sitio Fundão foto pachelly Jamacaru   o meio ambiente esquecido pela falta de ações das autoridades.

O parque estadual do sitio fundão, há muito que carece de  melhor atenção das autoridades, no que se diz respeito a sua conservação, preservação e utilidade pela comunidade acadêmica, cientifica, servindo como fonte de estudo para várias pesquisas, haja visto a vasta floresta repleta de ofertas naturais da sua fauna e flora ricas em propriedades impares.

Não bastasse tanta fartura natural que abunda naquele grande espaço verde, ainda há um fator muito importante, cujas autoridades ainda não atentaram para isso; Trata-se do fator histórico, que largado no meio do mato agoniza pedindo socorro num verdadeiro grito como que pedisse a alguém que o resgatasse.

O engenho de cana de açúcar movido a tração animal, ou o que ainda resta dele, é o quadro mais trágico e dantesco que se pode notar nomeio daquele verde matagal.

Todo de madeira e datado dos anos 800, ali dorme a história de anos e anos de grandes homens que fizeram desta aterra a terra liberta de Barbara de Alencar e que hoje sente-se aprisionada pela insensibilidade dos homens do poder que somente quer poder.

Pois bem; A convite do ambientalista e repórter Ede Alencar, esteve presente na manhã do dia  17 de abril as 10 horas da manhã, o deputado estadual Zé Ailton Brasil, que acompanhado por um grupo de jornalistas da região que fez caminhada dentro do parque para sentir de perto os problemas que ali existem.

Os problemas se iniciam pela falta de segurança que praticamente inexiste por conta de se ter apenas um segurança naquele local de amplas margens com cercas violadas, quando seriam necessários no mínimo dez homens para dar total segurança as famílias que por ali fazem caminhadas diariamente, correndo o risco de serem molestadas por pessoas más intencionadas.

Não bastasse tanta falta de atenção ainda notamos a água cortada há mais de dois anos, sem nem sequer um bebedouro para visitantes e funcionários e segundo Eder que completa lembrando que a casa sede, que é toda de taipa está há muito precisando de reformas gerais para que se possa manter este patrimônio histórico de depois as estruturas do telhado estão precisando de reparos urgentes assim como piso inferior e superior cujo piso é de  madeira de lei colocadas ali pelos escravos.

Valendo-me do aspecto histórico, cientifico e naturalista é que posso lembrar de uma reportagem que fizemos naquela localidade, quando na ocasião o deputado federal André Figueiredo, juntamente com o presidente do COPAM, O Sr. Afonso Neto, fizeram pedido ao então governador Cid Gomes que de pronto garantiu a liberação de R$ 1.100,000 (hum milhão e cem mil reais), para reforma do engenho e de outros equipamentos daquele bucólico local.

O fato é que na ocasião o Dep. Federal André Figueiredo vibrou dizendo-se feliz pois desta vez o projeto iria adiante, o que nos deixou bastantes animados com relação a realização das obras ali tão necessárias, mas o tempo passou e nada.

Este fato lamentável insistentemente nos obriga a perguntar: Deputado, cadê os “um milhão e cem mil Reais” será que também ficaram esquecidos no tempo da historia ou como diria o poeta…E o vento levou?

Assim como o velho engenho de madeira movido à tração animal,nos somos movidos à esperança e esta é a de que fomos testemunhas de que foi o atual governador que foi um dos precursores de toda a luta para o aparelhamento, reforma e manutenção do sitio fundão.

O deputado Zé Aílton Brasil prometeu todo empenho no sentido de resolver todos os problemas do parque ecológico do sitio fundão, levando as questões ao governador e ao secretario Artur Bruno, para que os problemas sejam imediatamente resolvidos, começando pela questão da segurança que o mais urgente e consequentemente sanar os demais.

 

Fonte Jornal Acontece

Postado por Antonio Rodrigues

 

 

 

 

.